PATRIMÔNIOS CULTURAIS E HISTÓRICOS

Rica em cultura, a cidade se destaca por grandes manifestações culturais: Samba de roda (proveniente do canto da chula que é tocada com violas, violas machete, cavaquinho, pandeiros e atabaques e entoadoas em belos coros)

Capoeira Inúmeros grupos existem na cidade.

Maculêlê um tipo de dança e luta com grimas (feitas de madeira)

Nego fugido manifestação famosa do distrito de Acupe, que encena a fuga dos negros e a caçada feita pelo capitão do mato na época da escravidão. Os atores maquiam o rosto com um misto de pó de carvão e óleo e pra deixar os lábios bem vermelhos usam anilina ou suco de frutas vermelhas em pó, além de saias feitas de palha de bananeira, coletes e chapéus de couro.

Burrinha de Acupe Divertida encenação com cantigas e “domadores”, a burrinha sai dando carreiras nas pessoas na rua.

Caretas de Acupe fantasiados, pregam peças nas pessoas pelas ruas.

Mandús também do distrito de Acupe

Lindo Amor Manifestação de cunho religioso que tem como objetivo pedir contribuições para comemorar os festejos de São Cosme e São Damião, ou de outro santo.

Puxada de rede belíssima encenação, que procura contar com cantigas a vida, ao mesmo tempo sofrida e feliz, do pescador da região do recôncavo, suas lutas, conquistas, sempre com muita fé, devoção e agradecimento à Mãe das águas.

Bembé do Mercado Comemorado desde 13 de maio de 1889 em alusão abolição da escravidão e a liberdade do povo de Terreiro para manifestar a sua fé. Realiza-se no largo do mercado, finalizando com a entrega do presente de Yemanjá na praia de Itapema. Em 2012, através do decreto n° 14.129/2012, a Festa do Bembé do Mercado passa a ser Patrimônio Imaterial do Estado da Bahia.

Igreja Matriz de Nossa Senhora da Purificação Inicio da construção em 1706; fim da construção no fim do século XVIII; tombamento pelo IPHAN em 1941; usada para culto religioso. Levou quase um século para ser construída. Possui uma pintura ilusionista italiana que era moda na Bahia na segunda metade do século XVIII, além disso, possui 10 painéis de azulejos azuis portugueses.

Casa de Câmara e Cadeia Pública Inicio da construção em 1727; fim da construção em 1769; tombamento pelo IPHAN em 1941; usada como Sede do Governo Municipal. Feita a imagem e semelhança da Câmara de vereadores de Salvador, possui pinturas de Dom Pedro I, Dom Pedro II, Barão de Sergy e Nossa Senhora da Conceição. Em sua parte posterior, há um pequeno jardim semicircular. Antigamente funcionava na casa uma cadeia, o prédio atualmente abriga a Câmara Municipal.

Solar do Biju Inicio da construção em 1804; fim da construção em final do século XIX; tombamento pelo IPHAN em 1943; usado como biblioteca e memorial. Era muito utilizado para o comércio. Foi palco de vários fatos históricos como o nascimento do Barão de Sergy e a assinatura da ata de vereança de 14 de junho de 1822, primeiro documento a manifestar o desejo de independência entre Brasil e Portugal.

Santa Casa de Misericórdia (Hospital Nossa Senhora da Natividade) Início da construção em 1778; fim da construção em 1854 (fim da ampliação); tombamento pelo IPHAN em 1962.

Convento de Nossa Senhora dos Humildes Início da construção em 1793; fim da construção em 1870; tombamento pelo IPAC em 1981; usada para culto religioso e museu.

Igreja de Nossa Senhora do Amparo Início da construção em 1818; fim da construção em 1907, aproximadamente;

Igreja de Nossa Senhora da Oliveira Início da construção em 1768; fim da construção em 1856 (atual configuração); tombamento pelo IPHAN em 1942. Localizada no distrito de Oliveira dos Campinhos.

Igreja do Senhor Santo Amaro Início da construção em 1667; fim da construção no final do século XIX (momento em que adquiriu a configuração atual).

Solar Araújo Pinho Início da construção no início do século XIX; fim da construção em 1859 (momento em que houve o acréscimo do 2º pavimento); tombamento pelo IPHAN em 1978; usado para eventos. Atualmente, funciona no local a “Casa do Samba”. Foi o local de estadia do Imperador Dom Pedro II durante sua visita a Santo Amaro, momento no qual seu dono à época, o Conde de Subaé, construiu um segundo pavimento para estadia do Imperador.

Solar Paraíso Inicio da construção em Final do século XIX; tombamento pelo IPAC em 1986; usado para eventos.

Santa Casa de Misericórdia de Oliveira (Hospital Nossa Senhora da Vitória) Inicio da construção em 1856; fim da construção em 1866;

Chalé na Praça 14 de Junho (Clube Social Irapurú) Início da construção no final do século XIX. Antigo ginásio santoamarense, foi sede do clube social Irapurú.

PUBLICIDADE